Descubra aqui como investir em cannabis no Brasil

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Imagem: Pexels/Antoni Shkraba)

Por Sofia Missiato

O status da cannabis nunca esteve atrelado com o mercado de ações, mas atualmente a planta ganha mais espaço. Desde 2014, empresas de cannabis foram listadas nas bolsas de valores reconhecidas internacionalmente como a canadense e a de Nova York, tal fato ganhou atrativos resultando em bilhões de investimentos, o que pode ser nomeado de ‘’corrida verde’’.

Segundo dados da consultoria especializada BDSA, foi demonstrado que o segmento teve um crescimento de  48% em comparação a 2019. A estimativa agora é de um aumento de cerca de 17% ao ano até 2026, levando o faturamento a 55,9 bilhões de dólares em cinco anos.

Entretanto, este cenário maduro é colocado para países que foram se desenvolvendo em cannabis. É possível investir diretamente em empresas estrangeiras como a Curaleaf e a Trulieve, porém abordaremos alternativas nacionais de diversificação da carteira.

Uma das formas mais conhecidas de investir em cannabis é por meio de um Exchange Traded Fund (ETF), que são fundos de investimento constituídos em uma carteira de ações e que busca replicar a carteira e a rentabilidade de um determinado índice de referência, normalmente internacional.

O interessante é que algumas corretoras brasileiras estão se preparando para tornar o processo de investimento nessa indústria ainda mais fácil e acessível. Aqui existem três fundos que podem funcionar para o investidor: dois são da corretora Vítreo e um é da XP Investimentos.

Para o investidor de varejo que deseja expor sua carteira a um dos segmentos que mais crescem nos Estados Unidos, deve se ter em mente que ele pode se expor a um potencial de lucratividade muito maior do que o de fundos convencionais.

O investidor pode iniciar com um valor baixo e ir aumentando conforme ganhar confiança, porém são  ativos de alto risco, ou seja, se uma ação de um setor comum leva de um ano a três anos para maturar esse intervalo no setor de cannabis passa de três anos a cinco anos.

É aconselhável ter paciência, pois apesar do grande destaque da cannabis, atualmente, não há certezas de quando o tema irá ganhar maior abrangência de legalidades. Mas, se porventura a liberação federal nos Estados Unidos acontecer, o mercado de ações de cannabis vai se tornar ainda mais atrativo, já que a bolsa mais reconhecida está lá. Apesar da volatilidade,  é um setor que deve continuar no radar dos investidores.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese