Como os coffeeshops holandeses estão vencendo a pandemia do coronavírus?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Cidade de Amsterdan, na Holanda (Créditos da foto: Pexels/Kata Pal)

Curadoria, tradução e ediçao Sechat, com informações de Canex (Roland Sebestyén)

Embora restaurantes, bares e pubs tenham sido repetidamente submetidos a rígidas medidas de bloqueio na Holanda, os coffeeshops relataram um aumento na receita desde o início da pandemia.

De acordo com a Euronews, o primeiro bloqueio imposto pelo governo na Holanda resultou em um “pânico de erva daninha”, com longas filas do lado de fora de coffeeshops ou cafés de cannabis.

Apesar das restrições à reuniões e às viagens, as lojas – quando não são pressionadas, por exemplo, pelo prefeito de Amsterdã – têm conseguido manter ou, em alguns casos, aumentar sua receita.

O Euronews relata que os cafés em Haia, onde fica o parlamento holandês, estão prosperando.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Isso ocorre apenas porque, enquanto outros setores tiveram algum tipo de limitação, as cafeterias puderam permanecer abertas e oferecer seus produtos para viagem.

Em um país onde o uso recreativo da cannabis foi adotado na cultura por décadas, não deveria ser surpresa que a indústria tenha conseguido florescer.

Uma pesquisa publicada recentemente descobriu que 90% dos usuários holandeses de cannabis fumavam tanto ou mais desde o início da pandemia, e três quartos fumavam todos os dias.

Stephen Snelders, um historiador do uso de drogas, sugere que as pessoas tinham um bom motivo para comprar cannabis: elas queriam encontrar uma maneira de lidar com a ansiedade agravada pela pandemia.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Ele disse: “Não se trata de gente querer ficar alta para fugir. É mais uma forma de lidar com a ansiedade do dia a dia. ”

Embora os cafés façam parte da paisagem em várias grandes cidades holandesas, Amsterdã pode ser a primeira a proibir a entrada de turistas estrangeiros nos locais. Relatórios recentes sugerem que a medida pode ser introduzida para limpar as ruas do “turismo de massa e de baixo orçamento”.

O prefeito de Amsterdã, Femke Halsema, afirmou: “Amsterdã é uma cidade internacional e queremos atrair turistas, mas gostaríamos que eles viessem por sua riqueza, sua beleza e suas instituições culturais.

“Os coffeeshops, especialmente no centro, são em grande parte dirigidos por turistas. O aumento do turismo apenas aumentou a demanda e atraiu a criminalidade das drogas pesadas no processo ”.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

O plano causou protestos entre os empresários, pois eles afirmam que já estão lutando contra o declínio do número de turistas que visitam a cidade por causa das medidas pandêmicas.

Um funcionário do Barney’s Coffeeshop disse há algumas semanas: “Tem sido um ano tranquilo, definitivamente.

“Obviamente [está melhor] em comparação com o verão passado com o [vírus] corona, mas este ano começou a ficar agitado, mas ainda não é nada comparado com os anos anteriores.

“Apenas turistas franceses e alemães têm vindo, não muitos ingleses e não muitos italianos.”

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese