Clifford Robinson fala sobre o uso da cannabis e sua carreira vitoriosa na NBA

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Foto: Pexels

Por redação Sechat com informações Basketball Network

Qual sua opinião sobre o uso da cannabis por astros do esporte? Imagino que se você não tem nenhuma uma opinião formada é porque concorda que o assunto é controverso.  Na NBA, principal liga do basquete-norte americano, uma de suas lendas, o ex-jogador Clifford Robinson, que defendeu as cores do Portland Trail Blazers, Phoenix Suns , Detroit Pistons , Golden State Warriors e New Jersey Nets, passou a maior parte de sua aposentadoria tentando mudar o equívoco sobre sua atividade recreativa favorita.

A maioria dos jogadores da NBA não se posiciona sobre o uso da cannabis. No entanto, Robinson sempre disse abertamente sobre ser adepto à cannabis ao longo de sua brilhante carreira no esporte. Por esse motivo, recebeu três suspensões no processo. As punições não fizeram o “Tio Cliffy” mudar a forma de pensar.

Robinson acumula vários feitos em sua jornada, foi uma vez All-Star da NBA, duas vezes membro da equipe All-Defensive e o sexto homem do ano. Foi também um dos poucos jogadores que se manteve em atividade na liga de basquete mais competitiva do mundo até os 40 anos. 

Durante as entrevistas, ele chegou a afirmar que o uso da planta nunca atrapalhou sua carreira de atleta.

“Quero derrubar o mito de que atletas e cannabis não se misturam”, disse Robinson em 2017 via Oregon Live . “Joguei 18 anos na NBA e usei maconha intermitentemente ao longo do caminho e não tive nenhum problema.”

Considerações do advogado e empresário

Robinson desistiu em 2007. Desde então, “Tio Cliffy” dedicou sua vida a defender os benefícios da cannabis. Ele também aproveitou a oportunidade para ganhar um pouco de dinheiro iniciando um empreendimento comercial de cannabis que chamou de “Tio Spliffy”.

“É uma oportunidade para eu sair e contar às pessoas um pouco sobre mim fora do basquete”, disse Robinson sobre seu negócio de maconha em 2016, via Business Journal . “As pessoas no Oregon me conhecem como jogador de basquete, mas quero destilar o estigma em torno da maconha, a percepção errônea de que atletas e maconha são incompatíveis”.

Ele acrescentou: “A cannabis é definitivamente uma alternativa mais positiva aos produtos farmacêuticos no final do dia. Esses são sintéticos. Estou falando de algo natural que pode trazer os resultados que você procura, seja para tensão muscular ou relaxamento ou preparação”.

Em 2020, Robinson finalmente sucumbiu ao linfoma após lutar contra a doença por um ano. Mas não se engane, até seu último suspiro; “Tio Cliffy” estava convencido de que a maconha não tinha nada a ver com sua condição. Se alguma coisa, ele usou para ajudá-lo.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese