Anúncios de cannabis não serão permitidos na final da liga de futebol americano

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Pexels/Pixabay)

Por João R. Negromonte

A final que acontece neste domingo (13), às 20:30h horário de Brasília, será entre os times Cincinnati Bengals e o Los Angeles Rams, definindo quem será o campeão de 2022 da National Football League (NFL). O evento que é tido como um dos maiores nos EUA, sempre teve o status de garantir um bom retorno para seus patrocinadores, isto é, se quer atingir um grande número de americanos com sua marca, o lugar é o Super Bowl.

No entanto, a cannabis mais uma vez ficou de fora dos planos dos organizadores do evento. Embora o apoio popular em relação ao uso da planta tenha aumentado por lá nos últimos anos, sendo legal na maioria dos estados, seus derivados continuam ilegal em nível federal. Outro ponto importante, é que os anúncios de cannabis – onde são permitidos – são normalmente restritos a públicos com mais de 21 anos, restringindo ainda mais sua disseminação. Hoje, 16 estados norte-americanos mais Washington DC, permitem o uso adulto da planta, enquanto 37 autoriza o uso medicinal.

Então, como podemos esperar, não haverá anúncios de produtos de cannabis no Super Bowl deste fim de semana. Segundo o porta-voz da NFL, Alex Riethmiller, em entrevista ao portal The Verge, “a liga possui uma lista ‘restrita’ para certos produtos e a cannabis se enquadra nessa categoria.” 

Alex destaca também que a norma vale para todos os jogos da National Football League, não se aplicando apenas para o Super Bowl. 

A tal lista de restrições, que é elaborada pela NFL, proíbe não só a cannabis, mas anúncios de tabaco e álcool, que também costumam aparecer por lá, o que não quer dizer que permanecerão ali por tempo indeterminado. Um exemplo disso, foi a revisão feita pela liga em 2017, que queria permitir destilados nas propagandas, o que foi rejeitado pelo sindicato dos jogadores, que apontaram irregularidades da empresa que pretendia criar o anúncio.

As propagandas de cannabis ficaram de fora do maior evento publicitário do ano mais uma vez, mas não por falta de tentativa. Em 2019, a Acreage Holdings, empresa canadense líder em processamento e distribuição de derivados da cannabis medicinal, tentou fazer com que seus anúncios aparecessem no Super Bowl 53, mas foi rejeitado.

Outra que também tentou colocar seus produtos em destaque foi a Weedmaps, empresa californiana fundada em 2008, que solicitou à sua agência de publicidade que abordasse a possibilidade de colocar seus anúncios no Super Bowl deste ano, o que não aconteceu.

Quando perguntado se uma empresa de cannabis poderia veicular um anúncio local sobre o evento esportivo em um estado onde a droga é legal, Riethmiller reiterou que “atualmente é uma categoria proibida”.
Dessa forma, enquanto a NFL continuar negando os pedidos de propaganda de cannabis, o que nos resta é esperar. Quem sabe um dia voltemos a ver a cannabis, assim como em 2015 quando o evento liberou o uso adulto da planta dentro do estádio da final, aparecer na maior celebração de um dos esportes mais populares dos EUA.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese