Autismo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O desconhecimento sobre o autismo, conhecido cientificamente como Transtorno do Espectro Autista – TEA, é o principal motivo pelo qual a condição ainda sofre preconceitos e que faz com que pais de crianças diagnosticadas com autismo tenham receio pelos filhos.

De acordo com o último Manual de Saúde Mental – DSM-5, que é um guia de classificação diagnóstica, diversas condições foram fundidas e passaram a receber um único diagnóstico como Transtornos do Espectro Autista, são elas:
transtorno autista;
transtorno desintegrativo da infância;
transtorno generalizado do desenvolvimento não-especificado (PDD-NOS);
Síndrome de Asperger.

Dessa forma, paciente com espectro autismo leve, TEA Asperger e outros transtornos passaram a integrar esse significado de TEA, que consiste em uma condição geral para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento.

Sintomas do TEA

Os sintomas de autismo confundem-se com as características apresentadas geralmente pelos pacientes diagnósticos com TEA. Ainda assim, podem ser identificadas como recorrentes os seguintes comportamentos:
Dificuldade para interagir socialmente, como manter o contato visual, expressão facial, gestos, expressar as próprias emoções e fazer amigos;
Dificuldade na comunicação, optando pelo uso repetitivo da linguagem e dificuldades para começar e manter um diálogo;
Alterações comportamentais, como manias próprias, interesse intenso em coisas específicas e dificuldade de imaginação.
O diagnóstico possível a partir dos sintomas de autismo é comum na infância, ocorrendo normalmente entre 2 e 3 anos de idade.

A cannabis no tratamento do autismo

Em Israel, país mais avançados nos estudos da cannabis medicinal, a neurologista pediátrica Orit Stolar dirige o Programa de Intervenção Precoce, um projeto combinado entre o hospital em que trabalha e a Associação Nacional Israelense para crianças com autismo (Alut). Orit lista vários avanços em redução de raiva, ansiedade e hiperatividade, além de melhora do sono e integração social em pacientes com autismo que usam o extrato.

 

 

A fita quebra-cabeça é um símbolo internacional que representa o mistério e a complexidade do autismo (Foto: Reprodução)

Artigos Relacionados

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese